sexta-feira, 30 de julho de 2010

Aquele que começou a boa obra em nossas vidas é fiel pra terminar!


Há alguns dias eu venho precisando de Deus de maneira que meus passos tropeçam se eu não encontrar Sua mão para guiar-me. Comparei-o a uma mãe que para ensinar-nos a andar, coloca nossos pequenos pés em cima dos dela e segura nossas mãos tão pequenas que agarramos seu dedo indicador como se fossem paredes para não cairmos. Busquei a Deus com tanta necessidade de encontrá-lo que acredito ter soltado ao ar a essência que Ele almeja inspirar... Pura, doce, dependente! E por falar em dependência, descobri que sou mais dependente Dele do que do alimento que me tira a fome, da água que me tira a sede, do calor que me aquece! Na verdade, Deus opera em nós o que ninguém vê... Nem nós mesmos.
Eu precisei de Deus no silencioso frio da noite, onde ninguém escuta, ainda que grite... E o busquei! O busquei por que sabia que Ele tem o tamanho que se encaixa perfeitamente no vazio do meu corpo, na solidão do meu coração. Eu precisava sentir aquele abraço, aquele calor no coração, aquela presença inconfundível de um amor imensurável que o homem não sabe, não pode, não consegue descrever! É o amor de Deus... E eu precisava me encher dele, eu precisava transbordar desse amor... Eu preciso renovar esse Espírito todos os dias dentro de mim! Não... As pessoas não sabem o conselho certo a dar, elas não têm a palavra certa pra você, elas não conhecem seu coração a fundo, elas não conhecem o espaço em branco que nem nós mesmos conhecemos no nosso próprio coração. Decidi entregar meus planos, sonhos, passos a Ele, afinal, Ele sabe melhor do que eu cada pedacinho de sonho que há em mim e qual o certo a seguir! Com o passar dos dias, uma força renovadora tomou conta de mim, o Espírito Santo já havia me convencido de que Ele transforma e restaura, mas eu ainda não havia me convencido! Talvez por que as pessoas estavam tentando colocar na minha cabeça que eu seria incapaz de tal feito... Eu precisava me esvaziar dessa vontade incessante de provar pro mundo que eu consigo, eu posso, eu vou ser a mulher que Deus sempre quis eu fosse, agradando-o no falar, no agir, no viver... Mas, ainda que eu gritasse, as pessoas não ouviriam... E fiquei inconsolada. Fiquei inconsolada de maneira a perguntar "Deus, o que tu quer de mim?!" e, acredito, todos um dia já fizeram tal pergunta.
Deus queria o que sempre quis... A minha vida. Talvez, se eu entregasse a minha vida por completo, Ele a transformasse de forma que eu não precisasse mais falar, mas as pessoas iriam ver no meu olhar, no meu agir, no meu modo de pensar... E me mandou descansar! Descansar Nele, pois eu não preciso provar nada a ninguém. Estando entregue a Ele o meu coração, a obra seria Dele. Entreguei. Entrega dói, quando entregamos algo a Deus, reconhecemos que não temos sabedoria o suficiente para lidar com aquilo e deixamos o Pai trabalhar, transformar, restaurar, curar, recriar! Quando entregamos o nosso coração, que é o nosso maior tesouro, Deus se enche de alegria e percebe que confiamos no poder Dele e admitimos a nossa pequenez diante de coisas tão sensíveis quanto o nosso próprio coração... Ao trabalhar em silêncio Ele nos enche da paz que excede todo o entendimento!
Eu acredito que Aquele que começou a boa obra em minha vida é fiel pra terminar. (Fp 1:6)

2 comentários:

  1. Glooooria a Deus!
    "Aqui estou senhor,
    rendido ao teu amor
    e a tua graça,
    me faz levantar e andar
    entrego a ti senhor,
    meu coração
    arrependido,
    recebo o teu perdão
    pois tua graça é melhor do que viver
    porque vivo pra te conhecer
    seja o rei
    seja tudo em mim" =)

    ResponderExcluir